1 de março de 2014

MINHA FANTASIA DE CARNAVAL : PROFESSORA! De Rosângela Ribeiro - Refletindo a prática pedagógica.

Este texto eu li no Blog rosangelacorujademinerva.blogspot.com.br da Dra. Rosângela Ribeiro. Gostei muito, tentei entrar em contato com a autora mas não consegui. Mesmo assim estou compartilhando ele com vocês. Espero que leiam e reflitam na real situação da educação brasileira.

 

imagem: pensamentosadois.tumblr.com

 MINHA FANTASIA DE CARNAVAL : PROFESSORA! 

 Fui ao SAARA no RJ comprar minha fantasia de carnaval pra este ano. Na loja a prestimosa vendedora perguntou se podia ajudar. Solicitei uma fantasia de professora . Sem titubear ela informou ter vários modelos e se queria profª do estado, município ou rede privada. Surpresa com tamanha facilidade e opções, pedi as tres redes de ensino porque seria uma para cada dia de folia. Logo depois a vendedora comparece com uma fantasia de palhaço bem colorida , nariz vermelho , cabeleiras de várias cores e outros acessórios. Explicou que os acessórios que seriam pendurados na frente e nas costas da roupa é o que determinavam a rede de ensino do professor.. Achei interessante e perguntei os preços com as específicas  identificações. Respondeu-me a prestimosa vendedora:
  - A fantasia de "fessora" do estado é a mais cara porque a palhaçada toda é maior ; a fantasia de  professora do município o preço é intermediário  porque bastava carregar pindurada na frente  da fantasia a placa "  IDEB EU APOIO"  e atrás a placa " SIRVO E OBEDEÇO "  e a fantasia de "tia" da rede privada um pouco mais cara em relação a anterior porque  o material das placa é mais sofisticado , a da frente "CLIENTE TEM RAZÃO"  e atrás a placa  "EM QUE POSSO AJUDAR?".
  A prestimosa vendedora ainda mostrou vários pequenos acessórios que deixariam a fantasia mais criativa e personalizada. Comprei caixas de remédio imitando rivotril e fluoxetina, imitação de atestado médico escrito BURNOUT, botons escrito "NÃO SOU PROFª DE PORTUGUÊS OU MATEMÁTICA MAS SOU FELIZ" , "PAIS E ECA UNIDOS JAMAIS SERÃO VENCIDOS!" , "SE DEUS É POR NÓS..." . Enfim, tinha tantos penduricalhos que cada fantasia seria única.
  Ainda surpresa com a facilidade das compras, pensei que iria andar muito sob o calor do RJ mais intenso do que o do Saara , perguntei a prestimosa vendendora por que havia tantas fantasias para professor, há muita procura? Respondeu-me:
 - Como fantasia sim. Trabalho vários anos em loja de fantasias e percebo que a fantasia forte no mercado tem duas qualidades, excluindo as clássicas e tradicionais : ou é motivo de chacota na época como os políticos ou está morrendo como realidade e virando figura  mítica , o caso do professor. Estas vendem à beça!
   Em silêncio fui ao provador e diante do espelho virei de um lado a outro olhando-me fantasiada com muita atenção. De repente, o que seria motivo de alegria: a fantasia, o carnaval e a folia, tudo ali  transformou-se numa tristeza profunda. Lembrei da minha realidade como psiquiatra, as caixas verdadeiras de rivotril e fluoxetina prescritas nos cérebros dos mestres ,o crescente diagnóstico de esgotamento profissional (  Síndrome de Burnout) nos professores, sua perda de autoridade e identidade profissional, seu choro sofrido nas consultas, seu medo de perder o controle, não mais da regência de turma, a regência  já vem perdida  da sala, quarto e cozinha da moradia  do aluno, mas o medo da perda de controle do seu próprio self;  alvo do ódio e abandono de crianças e jovens com suas famílias míticas e políticas educacionais de chacotas. Devolvi a fantasia, pra quê carnaval?

    Dra. Rosângela Ribeiro

ps: Querida autora, caso não autorize a divulgação deste conteúdo neste blog, por favor entre em contato conosco e faremos a remoção.








Bom feriado !
Beijos Stela Santos.